Institucional / Modelo tarifário de água e esgoto

No modelo tarifário

Modelo tarifário de água e esgoto

Atendendo a uma determinação judicial e adequando-se ao Código de Defesa do Consumidor, o Semae extingue a tarifa vinculada a um consumo mínimo presumido e muda a conta de água. Em decorrência de uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público, a nova conta é calculada conforme o consumo de cada economia (Decreto nº 8.165/2015), somada ao valor do serviço básico de disponibilidade de rede.

O valor do serviço básico de disponibilidade de rede de água ou esgoto é um valor fixo para que seja mantida a ligação e a disponibilização do produto, independe do consumo. Isto significa que este valor é cobrado mesmo se o consumo verificado no mês for igual a zero.

O valor de consumo é proporcional ao volume de água consumido pelo usuário do Semae. Quando não houver consumo, esta segunda parcela será igual a zero.

A principal mudança é que o novo modelo privilegia o consumo consciente de água. Quem consumir menos pagará menos, além de contribuir para a preservação do manancial do Rio dos Sinos. Também vai modernizar a estrutura tarifária igualando ao modelo praticado em países desenvolvidos. O novo sistema começou a valer a partir de julho de 2015.

Categoria residencial e comercial A

Categoria residencial e comercial A

Categoria residencial social

Categoria residencial social

Categoria comercial B

Categoria comercial B

Categoria industrial e pública

Categoria industrial e pública

 

Tire suas dúvidas sobre a nova conta de água

1. Porque a mudança na conta de água e o que muda com a nova tarifa?

A conta de água com o novo sistema de cobrança será implantado nas contas de julho de 2015 com vencimento em agosto. O Semae está atendendo a uma decisão judicial numa ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público. A nova conta é calculada conforme o consumo de cada economia somada ao valor do serviço básico de disponibilidade de rede. Com isso o consumidor pode reduzir o valor da conta consumindo menos água.

 

2. As pessoas irão pagar mais, ou seja, isso implica no aumento da conta de água?

Segundo o IBGE, um consumo responsável representaria 10m³ mensais para uma família composta por três pessoas. O consumo que exceder essa metragem poderá sofrer um aumento. Quanto menos consumir menor será o valor a pagar. O usuário poderá controlar o seu consumo e reduzir a sua conta.

 

3. Para moradores de prédios como fica a cobrança?

A conta de água dos condomínios/edifícios com mais de uma economia (domicílio), será calculada considerando o valor do serviço básico para cada economia mais o consumo total do prédio, cabendo ao condomínio realizar o rateio da conta por unidade domiciliar.

 

4. Como fica a tarifa social?

Como tarifa social, o Semae considera um consumo até 10m³  para economias enquadradas em baixa renda e seu valor corresponderá a 40% do valor do m³ da tarifa residencial padrão. O consumo superior a 10m³ será cobrado com os mesmos valores da categoria residencial.

 

 5. Vou pagar um valor mínimo?

O Semae não cobrará mais uma tarifa mínima presumindo um consumo mínimo, exceto para economias que ainda não possuem hidrômetros ou que o hidrômetro esteja em situação irregular com a média de consumo igual a zero. O que será cobrado é um valor referente ao serviço básico de disponibilidade de rede que compreende os custos para manter o serviço de água a disposição de cada residência do município. Mesmo se não houver consumo ou consumo zero ou a residência estiver vazia, será cobrado o serviço básico de disponibilidade de rede.

 

6. Como funcionará para a indústria e comércio?

Comércio, indústria e órgãos públicos seguem a mesma sistemática, porém com tabelas de valores próprios onde está estabelecido o m³ e o serviço básico de disponibilidade de rede. O pequeno comércio que não usa água como insumo em suas atividades, segue a mesma sistemática de tarifa residencial.

 

7. Como posso diminuir o consumo?

Todos podemos fazer o consumo responsável.

1. Ao lavar a louça, não deixe a torneira aberta o tempo todo. É desperdiçado até 105 litros.
2. Banhos demorados gastam de 95 a 180 litros de água. Diminua o tempo no banho.
3. Se a torneira ficar aberta enquanto escova-se os dentes se gasta até 25 litros de água. Seja responsável. Escove depois abra a torneira.
4. Lavar o carro com mangueira gasta 560 litros de água em 30 minutos. Use o balde.
5. Uma descarga chega a utilizar 20 litros de água em um único aperto. Troque por equipamentos mais modernos que economizam água.
6. Torneira aberta é igual a desperdício. A torneira gasta de 12 a 20 litros de água por minuto. Se deixar pingando, são desperdiçados 46 litros por dia.

Nível do Rio dos Sinos

* Medição realizada às 7 horas no ponto de captação do Semae.

Ligação Gratuita 0800 510 2910

Unidade de Atendimento

  • SEMAE - Centro

    Rua João Neves da Fontoura, 811 - Centro